21 de Fevereiro de 2007

Hannibal Lecter imortalizado por Anthony Hopkins é talvez o maior psicopata assassino da história do cinema. Eloquente, charmoso, requintado, sofisticado e extremamente inteligente. É também um assassino sem escrúpulos, canibal, cruel.

Por mais curiosidade que eu tivesse acerca de psiche de Hannibal sempre achei que há segredos que não devem ser revelados e o facto de não sabermos como Hannibal se torna … Hannibal era um mistério que merecia a bem da obra prima criada pela interpretação de Anthony Hopkins ter ficado esquecido.

Ora este filme vem explicar a origem do mesmo. Hannibal é na verdade um Lituano proveniente de uma família abastada que se isola no campo para fugir da guerra soviética contra os nazis. A sua família é morta e só sobrevive Hannibal de 8 anos e a sua irmã Misha de 3, condenados a sobreviver isolados de tudo e de todos. Cedo um grupo de soldados descobre-os e procura abrigo em sua casa. Aí esperam sobreviver ao rigoroso Inverno mas ficam sem comida e famintos resolvem comer Misha a irmã de Hannibal prestes a morrer de pneumonia.

Dez anos mais tarde, Hannibal foge de um orfanato e vai procurar o único familiar que tem a França. Ao chegar a França o seu familiar já falecera e a sua esposa nipónica dá-lhe abrigo e formação. Hannibal desencadeia então o plano para vingar a sua irmã. Inicia a sua “vendetta”.

A minha opinião sobre este filme não é favorável. Nunca imaginei Dr. Lecter lituano. Sempre pensei que fosse um inglês aristocrata, ou um francês da mesma estirpe mas não lituano. Há factos e curiosidades engraçadas neste filme, o facto de vermos como ele inicia o seu fetiche “gormet”, mas tudo o resto parece ser misturado à pressão para revelar este Hannibal Rising. Eu não esperava o requinte que Hopkins demonstra nos outros filmes, afinal esse tem 60 anos e este é bastante novo, penso até que Gaspard Ulliel faz um excelente trabalho com o fraco argumento que lhe é dado. De Hannibal ser um jovem com fraca capacidade de verbalizar alguma coisa a ser um mestre do dialogo vão segundos, não se explica o seu interesse na anatomia humana, de súbito está a estudar medicina e até temos uma máscara japonesa similar à sua mordaça em “Silencio dos Inocentes”. Esta ultima era perfeitamente escusada. Achei que minimizar a personagem a uma vendetta por muito que haja um “twist” interessante final é pouco para uma das mais fascinantes personagens dos nossos dias.

Como o argumento foi escrito por Thomas Harris, o mesmo que escreveu os livros e inventou esta personagem, eu não posso ter grande coisa a dizer a não ser que faria diferente ou não faria, pura e simplesmente. A Petter Webber nada a dizer. A sua realização é segura e muito profissional.

4,5 de 10.


publicado por Ricardo Fernandes às 10:26 link do post
tags: ,
Fevereiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
15
16
17
18
19
20
22
24
25
26
28
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
23 comentários
22 comentários
20 comentários
20 comentários
20 comentários
19 comentários
17 comentários
16 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
2016...Para Luz eu te ordeno!..Para luz eu te Orde...
De mora muito parece que n gosta de ganhar dinheir...
Postagem de 2006 comentários 2012 e ja no final de...
To esperando até hoje!! kkk..
cara o jason é o maior maniaco dos filmes o filme ...
Eu me apaixonei com ele
2014 E NADA DE CONSTANTINE 2 ???????????
Gosto muito deste filme não só gosto...
Ele é um boneco muito ruin. Apesa tamb&eacu...
Deculpa mas é velho mesmo
blogs SAPO