21 de Outubro de 2006

Infelizmente tive de sair a meio do filme. Ainda assim creio que uma parte de mim disse graças a Deus por ter de sair. Estou a arriscar o comentário.

Um filme de Sofia Copola, com Banda sonora dos 80, passado no glamour da França de Luís XV/XVI. Que premissa excelênte para se ver um filme.

O filme não é extraordinário. Em termos visuais é excepcionalmente fiel ao teor da epóca. Mas é só. Mal filmado, com vários planos desfocados e as repentinas mudanças de camera fixa para cameras móveis e demasiadamente móveis (tremideiras!!!). Contém demasiados dialogos escusados e que não têm qualquer relevancia à história. Se por um lado já me referiram que poderão ter um aspecto interessante para quem leu alguma biografia dela, o facto é que Copola já tinha salientado a importancia noutras cenas de maior influência.

A passagem da música clássica, até victoriana, para a Banda Sonora dos nossos anos 80 é feita com “explosões repentinas” de som, que não são agradáveis a um ser humano normal. Ou então a mítica passagem de sapatos clássicos para uns “all-star”.

Salva-se neste filme Kirsten Dunst, que embora a crítica em geral, não goste dela, é um grande talento e o seu sorriso consegue dar animo e alegria a um filme, completamente desastroso...


publicado por Ricardo Fernandes às 15:01 link do post
tags: ,
21 de Outubro de 2006

Há muito tempo, ia para o trabalho com um colega  e estava a falar com ele sobre um filme. Disse-me que já o tinha visto e que não achava piada, pois nada tinha de original. Achei aquela posição um tanto ou quanto elitista e pedi-lhe para me enumerar um que o fosse, uma vez que a minha posição é que nada de original existe nos dias de hoje. Referiu-me o Lost in translation de Sofia Copola. Naturalmente, tive de concordar.

Ontem tive o prazer de assistir mais um filme original. Little Miss Sunshine é provavelmente o melhor filme que vi este ano. Claro que Lady in The Water de Shaymalan e os filmes da Marvel, são muito bons, mas este é maravilhoso, original e mundano! Sim completamente mundano, por isso vocês pessoas racionais deste mundo fora vão adorar o filme.

Um avô drogado, um tio gay e suícida, um filho que não fala há 9 meses, um pai obcecado com um projecto de vida (Vencedores vs. Perdedores) uma mãe e uma filha, relativamente normais, iniciam uma “road-trip” numa VW amarela para que a filha entre num concurso de beleza. Esta é a premissa do filme.

O filme explora uma cultura que incita as pessoas a perseguir o sonho de vencer em vez de valorizar o que já tem. Explora a disfuncionalidade do tipico americano que come todos os dias ao jantar a mesma fast-food. E onde só a mãe parece ser minimamente sã! É uma comédia num estilo noir que revela as falhas de uma familia disfuncional, onde inicia uma road trip que os vai unir, conhecer e aprender a dar valor ao que têm.

Com Abigail Breslin, Greg Kinnear, Paul Dano, Alan Arkin, Toni Collette e Steve Carell em magníficas actuações, para um dos filmes do ano. Aconselho vivamente e não me posso alongar mais...


publicado por Ricardo Fernandes às 14:36 link do post
tags: ,
Outubro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
14
15
16
18
20
22
24
25
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
23 comentários
22 comentários
20 comentários
20 comentários
20 comentários
19 comentários
17 comentários
16 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
2016...Para Luz eu te ordeno!..Para luz eu te Orde...
De mora muito parece que n gosta de ganhar dinheir...
Postagem de 2006 comentários 2012 e ja no final de...
To esperando até hoje!! kkk..
cara o jason é o maior maniaco dos filmes o filme ...
Eu me apaixonei com ele
2014 E NADA DE CONSTANTINE 2 ???????????
Gosto muito deste filme não só gosto...
Ele é um boneco muito ruin. Apesa tamb&eacu...
Deculpa mas é velho mesmo
blogs SAPO