26 de Março de 2007

A magia que envolve a poesia e o facto desta ser tão cativante é pura e simplesmente a interpretação que cada um faz dela. Cada estrofe, cada verso pode e deve ser sentida de maneira diferente em cada um de nós. Quando esse sentimento mágico é transposto para o cinema, estamos perante uma obra de arte.

Estranhei o facto de um filme de aventura não estar espalhado por toda e qualquer sala de cinema, mas isso foi porque não era um filme de aventura. Pensei que seria mais um “Van Helsing”, mas graças a Deus, enganei-me redondamente. E fiquei extasiado, maravilhado, confuso com o filme que vi.

The Fountain é mais que uma história da busca pela vida eterna. É uma fábula sobre aceitar o destino, aceitar a morte. Existem 3 histórias neste filme. A de um Conquistador Espanhol, na demanda da arvore da vida bíblica em território inca; a história de um Cientista que procura a cura de uma doença maligna para a sua esposa e a uma história curiosa dentro de uma bolha onde o actor principal está com a árvore da vida a caminho do lugar dos mortos inca. As histórias não são mostradas em separado, são juntas e intercaladas entre si. A mescla é de tal forma que por vezes é confuso seguir o raciocínio de uma forma lógica. Confesso que não fiquei tão confuso ao vê-lo do que quando vi a Estrada Perdida de David Lynch, no entanto saí do filme algo desnorteado. A árvore da vida está presente nas 3 histórias (digo isto porque na história do cientista, a dada altura ele faz avanços para a cura deste cancro a partir de uma árvore da América do Sul), o aceitar a morte como parte natural da vida também.

Darren Aronofsky já tinha feito um filme extraordinário, com Requiem for a Dream, e este passa-lhe aos pontos. A clareza da realização é de facto fenomenal, os planos, os efeitos especiais, mesmo a mescla de imagens que unem e desdobram as várias epopeias do filme. Fiquei fã deste realizador e argumentista. Rachel Weisz, está a tornar-se um caso sério em Hollywood. É uma excelente actriz e finalmente, após já uma vasta carreira está a entrar em filmes de acordo com a sua… arte! Agora quem me surpreendeu foi Hugh Jackman. Ele é bom actor. Sempre gostei dele, mesmo em papéis menores sempre engrandeceu esses papéis. Aliás, não foi por acaso que falei em “Van Helsing”, se o filme é interessante (para além da Kate Beckinsale e do fabuloso Richard Roxburgh como Drácula) é por causa dele. “The Prestige” já foi um novo caminho que Jackman trilhou à altura. Este foi mais um papel fenomenal.

Este é um filme que não é para qualquer um. Algumas pessoas na sala de cinema, saíram do filme a expressar barbaridades, mas lá está… o filme obriga a pensar e nem toda a gente gosta de o fazer.

9/10

publicado por Ricardo Fernandes às 14:41 link do post
tags: ,
O facto de não ter gostado do filme, não se deveu a não gostar de pensar, pareceu-me foi que o argumento é bastante fraco, e o realizador teve "umas ideias" mas não encontrou argumento que as conseguisse transpôr para o ecrã, pois este é bastante fraco... E também achei o nível dramático, algo baixo...

Quanto a mim, foi um mau argumento embrulhado em algumas metáforas, imagens bonitas e ideias, que, apesar de boas, não conseguiram encontrar um bom caminho para a sala de Cinema...

Não me digam que não gostei por não pensar... Os filmes que mais gosto são aqueles que puxam pela nossa mente, e que poucos entendem, mas... Opiniões são opiniões, e esta é a minha... Que me desculpem os fãs do filme... ;)

Cumprimentos!
RJ a 27 de Março de 2007 às 15:41
Boas RJ!!! Tenho de ver se não me esqueço de amanhã actualizar a barra lateral com links para lá meter o teu. De qualquer forma, Quando refiro o factor pensamento, refiro precisamente o contrário do que fizeste. Não gostaste e tens motivos válidos para isso. Não acredito que não tenhas gostado apenas e só porque esperavas algo diferente, como um Van Helsing e nem sequer te deste ao trabalho de reflectir sobre o filme. Como é óbvio fizeste-o e tens pleno direito de achar o filme péssimo! Um abraço!
Uma das maiores experiências que tive em cinema, acima de tudo uma enorme experiência sensorial, adorei.
Leiam a BD também se puderem e gostaram do filme :)
Gabriel a 28 de Março de 2007 às 11:34
Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
16
17
18
20
21
22
23
24
25
28
31
Posts mais comentados
23 comentários
22 comentários
20 comentários
20 comentários
20 comentários
19 comentários
17 comentários
16 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
2016...Para Luz eu te ordeno!..Para luz eu te Orde...
De mora muito parece que n gosta de ganhar dinheir...
Postagem de 2006 comentários 2012 e ja no final de...
To esperando até hoje!! kkk..
cara o jason é o maior maniaco dos filmes o filme ...
Eu me apaixonei com ele
2014 E NADA DE CONSTANTINE 2 ???????????
Gosto muito deste filme não só gosto...
Ele é um boneco muito ruin. Apesa tamb&eacu...
Deculpa mas é velho mesmo
blogs SAPO