28 de Novembro de 2006

Vi o trailer deste filme primeira vez quando fui ver o “Perfume”. A reacção automática foi dizer: “Isto parece promissor”.

E realmente parece promissor, mas infelizmente passa disso. O filme tem todas as premissas para ser um excelente filme. Que teria como dado adquirido, um ou mais “twists” era obvio e foi isso que me despertou a atenção. Porém cedo conseguimos deslindar a maioria do suspense através de muitos flashbacks desnecessários ou simplesmente demasiado reveladores.

Cinco homens estão desmaiados e encerrados num armazém situado no meio do… nada. Estão confinados àquele espaço, não havendo qualquer possibilidade de sair. Um está amarrado numa cadeira, outro algemado a um andaime com um ferimento provocado por uma bala, um está deitado ensanguentado com uma pá (de escavar… aquelas da obra) ao lado, outro está no mesmo andaime deitado e por ultimo um deles está no chão ao lado do tipo da pá.

O primeiro a acordar é este ultimo. Acorda com amnésia e não se recorda de nada. Assim é com todos os outros. Ninguém se lembra de nada, nem como está ali, nem porque está ali. Apenas surge a hipótese de uns serem bons e outros maus… Mas quem é quem? Em paralelo surge a história de uma mulher que irá depositar uma quantia abastada de dinheiro relacionada com um rapto.

Melhor premissa que esta para um filme não é possível. Aliás deve ser por isso que conta com tão bom elenco. James Caviezel, Greg Kinnear, Joe Pantoliano, Barry Pepper, Jeremy Sisto e ainda Bridget Moynahan.

O filme não é de todo mau. Tem os seus momentos, com bons actores é impossível ser muito mau, ainda assim espera-se mais. Eu esperava mais!


 


publicado por Ricardo Fernandes às 18:15 link do post
tags: ,
28 de Novembro de 2006

Normalmente ainda absorto pelas sensações provocadas pelos filmes (ainda que dias depois), faço a crítica e se gostei do filme tenho a tendência para engrandece-lo mais do que é na realidade.

Hoje estive a ver os reviews que tenho feito acerca dos filmes e resolvi reclassificar alguns. Quase todos na maioria. Tinha bastantes filmes com classificação máxima e não mereciam. Como exemplo temos “Superman Returns” que embora ainda hoje eu continue a achar que é um bom filme, o facto é que com o dinheiro que se gastou, podia estar um pouco melhor, daí a redução de 10 para 8. Para além do mais não podia ter um filme fora da escala como “Perfume”, comparável a “Superman Returns”.

Ainda pensei em catalogar os filmes, mas provavelmente existiriam filmes onde entraria numa espécie de “loop” contínuo (Fantástico ou aventura? Aventura ou fantástico?).

Não vou deixar de ser fiel para com as minhas emoções, mas tentarei ser um pouco mais contido. Se rectificação for necessária mais tarde, logo notificarei os meus caros leitores!

Bem Hajam!

publicado por Ricardo Fernandes às 14:21 link do post
27 de Novembro de 2006

Estava eu na minha visita diária ao Cineblog, quando deparo com o post que me deu a seguinte informação e cito (JB se quiseres que retire, apita):

"Lauro António apresenta : Os Melhores Blogues De Cinema 2006

Lauro António continua ocupado com a sua iniciativa em organizar um encontro de Blogues de Cinema. Até parece que vai haver uma votação para o melhor blogue de cinema (e cultura), e tudo.

Não... não me estou a candidatar nem a pedir que votem em mim (tenho noção da minha própria insignificância), mas caso estejam interessados em conhecer esse universo em contínua expansão que é a Cineblogosfera em português, cliquem aqui!"

Na integra aqui.

Pois é visitem, o meu site também lá está! Não é preciso votarem em mim (votem, votem), já tenho a vitória de lá aparecer!
publicado por Ricardo Fernandes às 17:58 link do post
tags:
27 de Novembro de 2006

A figura sobre a qual este filme espelha, é a figura que vive no imaginário de todos os homens que conheço. Algumas mulheres também, mas mais os homens. James Bond é aquele que todos gostariam de ser e “outros” de ter… É um espião com requinte, charme, postura. Extremamente inteligente, dotado de uma cultura vastíssima, bons fatos, magníficos relógios e carros de outro mundo.

Depois de tantos James Bond, passando por Sean Connery a Roger Moore ainda Timothy Dalton ou ainda do mais recente Pierce Brosnan, qual a melhor maneira de fazer um novo filme? Quem seria o actor? Uma continuação seria o caminho lógico, não apresentando qualquer desafio. Um sucesso por si só já garantido, fosse o filme bom ou não, mas Pierce não quis fazer mais nenhum. Então depois de 20 filmes (mais 2 não oficiais) como fazer este filme? Talvez reinventando. Casino Royale é uma reinvenção de James Bond, mais que James Bond, é uma reinvenção do “franchising”.

Este James Bond é mais rude, cruel, frio que os outros. Não deixa de ter todas as características que fazem dele um Bond, no entanto é duro. Escolheram Daniel Craig para a tarefa. A escolha foi rodeada de toda a crítica possível e imaginária. Daniel Craig não é o modelo de um homem bonito, nem sequer aparenta ser charmoso à primeira vista. Eu próprio achei a escolha desadequada e como me enganei… Este é o Bond que sempre quis ver.

A história é simples. Pegou-se no primeiro livro de Ian Fleming, reescreveu-se para cinema uma história que já em 1967 (Casino Royale) tinha passado pelo grande ecrã, mas mais em formato comédia e deu este filme genial. São os primórdios de Bond. James acabou de receber a sua primeira missão após tornar-se um “00”. Em África, a sua missão é capturar um bombista que lhe dará acesso a um “peixe” maior, um homem conhecido como Le Chiffre (Mads Mikkelsen).

Bond não é bem sucedido e quando M (Judi Dench) o repreende, parte numa missão a solo, para justificar que ele foi bem promovido a “00”. Após relativo sucesso Bond parte para a sua segunda missão. Em Casino Royale terá lugar um jogo de poker milionário com Le Chiffre. A sua missão é infiltrar-se, jogar e ganhar. É acompanhado por Vesper Lynd (Eva Green), a Bond Girl de serviço (sem palavras… apenas estonteante), agente da tesouraria que estará encarregue do dinheiro que Bond irá usufruir para o jogo.

Mais, seria indecente da minha parte contar aqui. Só vos posso dizer que o filme é repleto de um género de acção nunca antes vista em filmes da saga 007, de um enredo e engenho nunca antes imaginados. A meio do filme vocês irão perguntar-se: Mas quem raios é o Pierce Brosnan?

De todos os Bonds este é o mais perfeito e o melhor filme da saga na minha opinião. É o segundo da longa lista de 21 que tem um “twist”, e que “twist”…

James Bond: I think I'll call it a Vesper.
Vesper Lynd: Why, because it leaves a bitter aftertaste in your mouth?
James Bond: No because once you've tasted it, you won't want anything else.


publicado por Ricardo Fernandes às 16:35 link do post
tags: ,
23 de Novembro de 2006

Casino Royale estreou hoje em Portugal e eu vou ver esta noite. Amanhã já há review! Estou ansioso para ver o filme. Os trailers deixaram-me pele de galinha. Acho (penso eu de que), aliás tenho quase a certeza que estamos perante um dos melhores Bond’s de sempre.

Sempre gostei de James Bond. Ter estilo, charme, relógios fenomenais, os melhores carros e as míudas mais giras da rua. Como é que um homem não pode gostar do James Bond? Todos querem ser como ele!

Não obstante ser um remake, James Bond é suposto ser um agente secreto. Como tal, deve ser um assassino de elite. Até agora (e vou ser crucificado por isto) o único que demonstrou alguma apetência para matar foi Timothy Dalton em Licença para Matar, tal era a fúria e a sede de vingança.

Casino Royale, conseguiu o enorme feito de fazer esquecer Pierce Brosnan, substituindo-o por Daniel Craig. Recebido por todos de uma forma bastante negativa. Creio ser uma cruz que carregou por muito pouco tempo. Lá fora agradou a gregos e a troianos, ou seja tanto ao público como à crítica. Não vejo a hora de entrar na sala de cinema!

Bond, James Bond

publicado por Ricardo Fernandes às 15:54 link do post
23 de Novembro de 2006

Eu andava com medo… Muito medo, mas vai mesmo avançar. Rob Zombie vai fazer o remake de Halloween. Michael Myers retorna no que ele (Rob) promete ser ainda mais aterrador que o primeiro.

Ponto 1 – Suplantar o génio de Carpenter? Não me parece.

Ponto 2 – É raro um remake ser melhor que o original. Ainda para mais quando o original já é excepcional por si próprio.

Temos vários filmes que comprovam o ponto 2 e pegando em filmes de John Carpenter podemos ver o que foi feito com o “The Fog”. Os personagens principais são mais bonitos, mas a alteração do argumento não trouxe nada de novo. Já o remake do primeiro filme de Romero (Night of The Living Dead) de 1991 é uma anedota. Dawn of the Dead (remake) até foge à regra, pois parece mais tratar-se de uma história paralela do que de um remake.

Tendo isto esclarecido, eu vou ao cinema na mesma e com o mesmo fulgor como que fosse ver uma nova sequela da saga. Adoro a personagem!

De qualquer forma o site bloody-disgusting (cujo link vai logo para a página que passarei a expor) divulgou uma sinopse pequena do filme e uma lista detalhada das personagens que vão entrar no mesmo. Pelo que li vão existir bastantes alterações ao argumento original. Penso que será para tentar explicar quem é Myers. As filmagens começam a 21 de Janeiro de 2007.

Cuidado com os spoilers. Se preferem não saber, não abram o site.


publicado por Ricardo Fernandes às 15:50 link do post
tags:
22 de Novembro de 2006

Tudo aconteceu após a presença dos dois actores Sacha Baron Cohen (Ali G/Borat) e Hugh Laurie (Dr. House) no Saturday Night Live.

Aparentemente e ainda vestido com as roupas da personagem Cohen meteu-se com alguém que estava a passar na rua e cito: “Adorei as suas roupas. São bonitas! Posso comprá-las? Quero fazer sexo com elas”.

Imediatamente foi esmurrado e não fosse a rápida intervenção de “House” (que chegou a temer pela vida do colega) o resultado podia ter sido bem diferente das pequenas mazelas que sofreu.

Afinal parece que o “House”  não salva só gente na tv… Vejam a notícia na  integra aqui.

publicado por Ricardo Fernandes às 15:14 link do post
22 de Novembro de 2006

Um abraço ao blog Cineblog, que está de parabéns. Faz hoje 3 anos. Que continue por muitos mais, que continue a ser um modelo de inspiração para quem o visita, e um poço imensurável de informações. Um bem-haja!

publicado por Ricardo Fernandes às 14:59 link do post
tags:
22 de Novembro de 2006

Para os fãs de BD e de Constantine, mais uma boa notícia: Constantine 2 foi confirmado. Pelas informações que nos chegaram a produtora Lauren Shuler Donner afirmou que será um filme mais duro que o primeiro, cheio de violência para agradar a toda a gente e contará com a presença de Keanu Reeves. Ainda não se sabe o director para o filme, mas sabe-se que a história vai ser passada fora dos states!

publicado por Ricardo Fernandes às 14:57 link do post
tags:
22 de Novembro de 2006

Agente 86 vai chegar aos cinemas em 2008. Se não sabem quem é, de certeza que se lembram pelo menos da voz de Nuno Markl a dizer as palavras “Maxwell Smart” na Sic Comédia. De qualquer forma, Steve Carrel (de Daily Show, Virgem aos 40 e Little Miss Sunshine) vai interpretar o Agente 86 e a sua companheira a Agente 99 será Anne Hathaway (Devil Wears Prada e Diário de uma princesa). Falou-se em Jennifer Love Hewitt, mas foi mesmo o patinho feio que ganhou o papel.

publicado por Ricardo Fernandes às 14:54 link do post
tags:
Novembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
15
16
17
19
20
21
24
25
26
29
30
subscrever feeds
Posts mais comentados
23 comentários
22 comentários
20 comentários
20 comentários
20 comentários
19 comentários
17 comentários
16 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
2016...Para Luz eu te ordeno!..Para luz eu te Orde...
De mora muito parece que n gosta de ganhar dinheir...
Postagem de 2006 comentários 2012 e ja no final de...
To esperando até hoje!! kkk..
cara o jason é o maior maniaco dos filmes o filme ...
Eu me apaixonei com ele
2014 E NADA DE CONSTANTINE 2 ???????????
Gosto muito deste filme não só gosto...
Ele é um boneco muito ruin. Apesa tamb&eacu...
Deculpa mas é velho mesmo
blogs SAPO